O Mar e a Saudade

Posted: julho 21, 2010 by Alessandro Pierre in
7

Ship At the Sea - Edward Moran

O Mar e a Saudade...

Reza o homem à vela, como rezam os marinheiros...
Que outras velas os guiem ao seu destino.
O que leva o marinheiro não é a vela nem o vento é o amor embrulhado na saudade
E a vontade de voltar...
Foi no mar que ele aprendeu a analogia do sal e da saudade
Não entende porque "sal" não se escreve "sau" ou "saudade" "saldade"
A única coisa que sabe é que o mar cheira saudade.
Saudade tem gosto de mar, que tem gosto de lágrimas, que tem gosto de sal, que lembra saudade..
Em cada porto a gratidão pelas estrelas que o guiara... 
Toda a noite céu e mar são um só, mergulhados na escuridão do infinito
Dividindo estrelas e refletindo a lua que reflete o sol...
Caronte que espere mais um pouco para a travessia do outro lado
Para o marinheiro o amor não é um destino... É um mar de rosas que se navega a dois
Sim, o amor é todo esse mar de rosas para quem não fica ancorado
Aprendeu ser romântico contemplando o mar beijar a praia eternamente
Descobriu que quanto mais se chora, mais se faz parte do mar
Descobriu que o mar e o amar são fluídicos...
E que o mar é uma grande lágrima com gostinho de saudade.

7 comentários:

  1. Rosa says:

    Oi Ale, olha eu aqui dinovo...

    Penso em não comentar, e quando vejo já to aqui escrevendo meia dúzia de palavras furadas....

    Sab que lendo o texto, ai bateu uma saudade....
    Não sei de quê, não sei de quem, só sei que deu muitas saudades.
    Saudades dessas que a gente desconhece.
    De tudo de bom que já aconteceu um dia na vida.
    Aquela sensação que ta faltando alguma coisa,

    A sensação de que o que passou foi melhor do que tudo o que está acontecendo no momento.
    E daqui um tempo, o que está acontecendo vai doer saudades do mesmo jeito das que doem hoje do que já passou.
    Pensamentinho confuso, sentimento meio inútil, mas sempre presente.....

  1. Ótima sensação de Saldade, bela sensação.

    Me deu vontade de ficar à beira do mar, contemplando a imensidão e mergulhar dentro de mim, para buscar algo do que sentir saldade, creio que não terei muito trabalho.

    Belo poema.

    Obrigado,

    Paz e bem

  1. "(...) Aprendeu ...(...)que o mar é uma grande lágrima com gostinho de saudade."

    Sim, um mar absoluto nessa tormenta que é a saudade! A gente aprende, Alessandro.

    Beijo, poeta.

  1. Nanda says:

    Belo como sempre...
    Tantas palavras que não cabem aqui.

  1. ValeriaC says:

    Que encantador seus versos Alessandro...sal...saudade...areia...mar...perfeito...
    Saudades de você, viu?
    Quase não tenho tido tempo de ficar no Twitter, mas não esqueço dos amigos queridos...tenha um ótimo final de semana!
    Beijos
    Valéria

  1. Os poetas sentem a saudade e escrevem assim.
    Sem mais comentários!

    :)

  1. "Queremos a ilusão grande do mar,
    multiplicada em suas malhas de perigo.

    Queremos a sua solidão robusta,
    uma solidão para todos os lados,
    uma ausência humana que se opõe ao mesquinho formigar do mundo,
    e faz o tempo inteiriço, livre das lutas de cada dia.

    O alento heróico do mar tem seu pólo secreto,
    que os homens sentem, seduzidos e medrosos.

    O mar é só mar, desprovido de apegos,
    matando-se e recuperando-se,
    correndo como um touro azul por sua própria sombra,
    e arremetendo com bravura contra ninguém,
    e sendo depois a pura sombra de si mesmo,
    por si mesmo vencido. É o seu grande exercício.

    Não precisa do destino fixo da terra,
    ele que, ao mesmo tempo,
    é o dançarino e a sua dança.

    Tem um reino de metamorfose, para experiência:
    seu corpo é o seu próprio jogo,
    e sua eternidade lúdica
    não apenas gratuita: mas perfeita."

    Estes são trechos de "Mar Absoluto", de Cecília Meirelles. Um dos poemas que mais amo. E foi dele que tuas palavras me lembraram.
    Sempre um encanto, um prazer e uma honra ser cada vez mais cativado pelo teu escrever. Tal qual o mar e a saudade, o potencial dele é ilimitado e apenas ao céu poderia ser comparado.

    Obrigado e parabéns, meu amigo. Mais uma vez.

    Um abraço, çao.