A Chave

Posted: junho 12, 2010 by Alessandro Pierre in
5


A Chave

Em cada verso escondo uma letra do meu desejo
Ninguém sabe o que anseio só sabe meu outro eu
Encontrei o caminho e quem me segure pela mão
Cheia de céu que na ausência me deixa nuvens
Tantas estrelas quantas couberem no peito
Afogo meus medos em seus delírios
Tenho em mim seu amor que é minha melhor parte
Trago seu cheiro como incenso que me purifica
Antes de ti me inspirei em você sem saber que existia
Tanto faz onde esteja, estará em mim por onde eu for
Ando por ai colhendo os sonhos que semeei no vento
Adormeço no torpor que causa quando me toca
Cada linha tem seu nome nossa dualidade tem a chave

5 comentários:

  1. Quais foram os pedaços de ti que se salvaram nestes teus delírios? Quais foram os pedaços que te restaram?
    Toda a eternidade para você, querido poeta.

  1. Que doces devaneios,Pierre!
    Fico tão feliz por te ter na minha galeria de poetas.

    A Ritinha tem razão : Toda a eternidade para você,querido poeta.

  1. "Trago seu cheiro como incenso que me purifica"

    Bom verso, belo achado, mas não seria "teu cheiro".

  1. Mais uma vez, vc usando a chave mais importante, aquela que abre a porta do "egos" amantes, nos faz viajar em sonhos e descobrir que o amor existe, mesmo não sabendo por ele, quem ainda somos.