Não Me Importo

Posted: junho 24, 2010 by Alessandro Pierre in
9

 Imagem: Alone

Não me importo...

Não me importo com seu choro ensaiado
Com suas lágrimas frias e seu beijo técnico
Talvez o lugar que ocupo em seu peito nem me caiba mais

Não me importo com as juras de amor e os dedos cruzados
Das inverdades construidas com eufemismo para aliviar-me a dor
Enquanto entregava-me o corpo, roubava-me a alma.

Não me importo com o tempo que perdi
Tentando ser exatamente quem voce queria
Me escondi em mim mesmo, quase nao coube em meu corpo

Não me importo em ter fingido o prazer
Fui personagem da minha própria vida
Sou a intensidade que só você não quer ver

Não me importo se não quer me ouvir
Grito ao mundo em poesia
Transformo em caracteres toda minha dor sentida

Não me importo se não me amas
Deixou de conhecer a minha melhor parte
Esteve sempre no escuro procurando meus defeitos

Não me importo se não temos mais motivos
Se nos esquecemos das segundas intenções
Somos cumplices em não nos permitirmos

Não me importo com o doce veneno em taças de champagne
Sempre soube a dose certa pra não morrer de amor
Te devolvi aos poucos diluidos em minha saliva

Não me importo em ter colhido teu fruto proibido
Fui condenado ao meu inferno em cada mordida
Você me tirou da incomoda paz do meu céu

Hoje nem te importa quem sou...
Aprendi a ser como lhe convém, mas meu Eu está ainda guardado em mim
Escancarado à sua frente e não me vês.

Nem me importa se acredita mesmo que não me importo
Na realidade se nao me importasse não me entragaria
Amo intensamente e é muito amor para amar sozinho

9 comentários:

  1. É tanto que transborda... É tanto que fica indefinido. É tanto que a gente até se perde, sem saber o que era e o que é.

    Belo texto!

  1. "Não me importa o depois desse momento, o que acontece nos próximos segundos, dias, meses, anos. Não me importa o resto do mundo. Eu não importo, nem você. Apenas nós, agora. Com toda a intensidade infinita a que um sentimento como o nosso tem direito."

    Assim escrevi uma vez e foi esse tipo de pensamento que me veio ao ler teu texto. O de que a intensidade de um sentimento existe num plano muito além do que se é possível controlar ou mesmo expressar à altura. E que, portanto, é imperativo que ele seja dividido para poder se fazer presente no mundo real com a mesma plenitude com que existe no das ilusões.

    Texto de uma beleza e força que eu não saberia descrever.

    Parabéns, como sempre. Tens minha admiração.

    Abraço!

  1. Isadora says:

    Alessando que linda poesia, forte, contundente, mas verdadeira. Muitas vezes nos perdermos nesse mar de amor, mas ainda bem que o veveno foi tomado em doses que não matam.
    Um beijo

  1. ValeriaC says:

    Alessandro...que intenso seu poema...um grito de dor tão sentido...
    A paixão cega...vicia, impregna todos os poros, ocupa todos os nossos neurônios...enlouquece, especialmente quando não tem quem se deseja, do jeito que gostaríamos de ter... nos perdemos de nós mesmos...

    Beijos pra ti amigo!
    Valéria

  1. Nanda says:

    o amor quando sozinho não sobrevive por muito tempo, pq precisa do outro pra existir. Um coração é meio.
    Achei lindo e imensamente triste, assim, alma de poeta...

    E o amor bagunça mesmo nossa vida, mas tem graça viver sempre em paz no seu céu? acho que não..

    Beijos poeta!

    te ler é uma dádiva.

  1. Quanto mais intenso e triste é o poema,mais intrínseco,mais alma.
    Que dizer?
    Surpreendes-me maravilhosamente pela positiva,Pierre.
    Sinto-me feliz por estares a construir um belo percurso na poesia.
    Beijinho.

  1. Querido Alessandro,

    a voz que fala nessa poesia quebrou-se como em um vitral. Essas palavras são prismas repletos de mágoas. Alguém te fez mal, e não bem, neste seu poema. A ponto de você não mais se importar... Não se importa?

    Meu carinho pra você.

  1. Rosa says:
    Este comentário foi removido pelo autor.
  1. Rosa says:

    Quanto tempo não passo por aqui....Senti falta das suas palavras....

    Parabéns pelo blog ....