Janelas, Almas e Borboletas

Posted: maio 16, 2010 by Alessandro Pierre in
6

Foto: Borboleta - Nidia Pimenta

Janelas, Almas e Borboletas


Como deve ser lindo o mundo visto da tua janela
Todas as estações são primaveras
Solstícios e equinócios num só dia
Devem haver estrelas, sois e luas que desconheço
Seu mar é infindo quando toca o céu
Da mistura dos azuis, nasceu tua Aura clara
Quero repousar sob tua sombra
No seguro aconchego de tuas asas
É tua toda essa beleza que vês no que escrevo
Descrevo o que te existe dentro
Que por se ver bela no espelho
Esqueces que os deuses, por capricho te colocaram...
Alma pura dentro de uma obra prima
E apesar de possuir um belo corpo
É apenas um casulo que aprisiona
A mais bela das borboletas
O que são as borboletas senão
As flores que aprenderam voar

6 comentários:

  1. Que belo poema,Poeta!!!Sedutor e singelo. ADOREI!!!
    PARABÉNS!

  1. Nanda says:

    Que lindo, a parte do corpo ser lindo, mas ser apenas um casulo em especial me comoveu! Perfeito! Me lembrou Fernando Anitelli dizendo no Teatro Mágico: "Borboleta parece flor que o vento tirou pra dançar"

    Beijos poeta feito de letras e sonhos!

  1. Maravilindoooo....delicado como sua alma.....perfeito....como é bom saber que vc transpira tanta leveza e suavidade...parabens.....beijos Ale....

  1. Henrik says:

    E deve ser de facto lindo visto daquela janela, pois nesta há deslumbramento...

  1. E esse vício de querer ver o mundo pela tua janela, nos faz esquecer a alma entre as mãos, esperando pelas tuas asas que certamente virão.

  1. ValériaC says:

    Ameiiiiii!!!! Sensível e profundo...
    Lindo demais... "...o que são as borboletas senão as flores que aprenderam voar..."
    Tenha uma semana encantadoramente serena e poética amigo!
    Beijos